Rompendo com a ruptura

Rompendo com a ruptura
(Eco 221) GIAMBIAGI, Fabio. Economia Brasileira Contemporânea (1945-2000) et al (2005) pp. 196-217. Cap. 8. Rompendo com Rupturas: Governo Lula.

Substituição de importações: 40’s e 50’s. 1
Anos 39 – 45. 1
O pós-Guerra (1945-1955) 2
Governo Dutra (1946-1950) 2
Política econômica externa. 3
Política econômica interna. 4
Segundo Governo Vargas (1951-1954) 4
PROJETO DE GOVERNO CAMPOS SALES RODRIGUES ALVES. 4
Política econômica externa. 5
Política econômica interna. 6
1954 – novas dificuldades: salários e café. 6
O interregno Café Filho (1954-1955) 6
Conclusões sobre o pós-guerra. 7
Os anos dourados de JK (1956-1960) 7
CAFÉ.. 7
PLANO DE METAS. 7
PLANO DE ESTABILIZAÇÃO MONETÁRIA – PEM… 8
MACROECONOMIA DO HOMEM CORDIAL (expressão de Marcelo Abreu) 8

Para reconquistar a confiança da comunidade financeira, os credores reclamavam um certo grau de overshooting fiscal, que não deixasse dúvidas acerca da trajetória futura da relação dívida pública/PIB.

Tudo indicava que a taxa de juros real teria de sofrer um aumento expressivo em 2003 em relação a 2002, para poder combater a inflação que estava se estabelecendo na economia no final de 2002.

A dívida pública tinha aumentado muito como percentual do PIB, requerendo um ajuste adicional da meta de superávit primário.

Presidencialismo de coalisão
“Sem alianças é possível vencer, mas não governar” FHC. Por isso PMDB passa a fazer parte da bancada governista (tinha apoiado Serra).
Superação do efeito Lula
Para reduzir o grau das tensões macroeconômicas (crise na Argentina e efeito Lula):
– nomeação de Henrique Meirelles (visto pelo mercado como confiável) para BACEN, mantendo toda a Diretoria herdada do Armínio Fraga (sinal de continuidade);
– reforço da política antiinflacionária (metas de inflação mais arrojadas)
– elevação da SELIC (mostrando que isso não era mais um tabu para o PT;
– aperto da meta de superávit primário
– corte de gastos públicos;
– inclusao na LDO da mesma meta fiscal de 4,25% do PIB de superávit primário.
Tripé
Lula deu prosseguimento às reformas e à política econômica baseada no tripé
Flutuação cambial/metas de inflação/ austeridade fiscal, rumando para o centro em relação às posições originalmente defendidas pelo PT.
Investment grade
Transformação da economia rumo a uma situação de maior competição com o exterior e com objetivos de ter indicadores fiscais sólidos, inflação baixa e regras de política econômica relativamente estáveis. Em caminho semelhante ao tomado pelo Cile e México.
PT PSDB
O PT abandonou posturas mais radicais em nome da governabilidade e da conciliação dos ideais socialistas com o modelo de economia de mercado. Assim o PT passou a disputar o campo da social-democracia, até então ocupado no Brasil apenas pelo PSDB.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s